Sejam bem vindos!
Se vocês gostam de saber novidades sobre livros e filmes está no lugar certo!

Resenha: A Menina que Roubava Livros (Géssica)

Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 480
Sinopse: “Se a morte conta uma história, você tem que parar pra ler”.

Olá pessoal, hoje nós vamos conhecer mais uma colunista do blog, a Géssica, que é uma super amiga minha. E como apresentação, ela fez uma resenha de um livro comovente, tocante e que nós vamos conhecer logo abaixo:
Oi blogueiros,
Me chamo Géssica Moraes, recebi o convite de uma amiga minha e amante de livros Isabela (ou como todos a chamam, Bela) para escrever uma resenha sobre o livro “A menina que roubava livros”. Acabei aceitando esse convite (principalmente por muita insistência dela rsrs), então, por favor, não se preocupem se estranhar um jeito diferente de escrever.


A história é dramática e acontece na Alemanha na época nazista. Entre 1939 e 1943.
O livro é narrado pela morte. Contudo, não se engane, a Dona Morte é super agradável, simpática e se mostra apreciadora das milhares de formas e cores que o céu costuma proporcionar, sendo carinhosa com as almas que retira dos corpos. A História da menina roubadora de livros, Liesel Meminger, começa no vagão de um trem, onde seu irmão morre. Ali a Morte a encontra e se encanta com a menina, e desde então, sempre que possível a observa.
Liesel rouba seu primeiro livro antes dela ser entregue aos seus pais adotivos, Rosa e Hans Hubermann. O livro é furtado no enterro do seu irmão, na época ela não sabia ler, mas se viu instigada a adquiri-lo, e sem ninguém perceber, nem mesmo o antigo dono, tomou-o para si. O nome do livro era “O manual do coveiro”. Logo após esse acontecimento a história começa a tomar forma, principalmente quando chega a Rua Himmel, em uma área pobre de Molching. Cidade desenxabia próxima de Munique. Onde recebe a notícia que sua mãe a deixara e teria que conviver com uma mulher rabugenta e um homem encantador e gentil, seus novos pais. Naquele lugar a menina faz amizade com um judeu, Max Vanderburg, e um menino/quase namorado da sua rua, Rudy Eteiner.
O livro é muito interessante por várias razões, pois conta de uma forma espetacular os furtos de uma menina marcada por suas desventuras, em uma época de repressão judaica, onde o alento para a sua dor se encontra em livros e em amigos extraordinários.

Eu realmente recomento este livro.

4 comentários:

αηδψϊηћα ஐβϊττψஐ 3 de agosto de 2012 05:11  

Foi um dos primeiros livros q li nessa minha fase devoradora de livros, e ele é perfeito, envolvente, tocante, recomendo msm!!!

Andy_Mon Petit Poison

Kézia Lôbo 17 de agosto de 2012 16:27  

Pois é, não sei porque nunca me animei a ler, já comecei mas nunca consegui passar do primeiro capitulo, ele está aqui me aguardando.. até o dia que eu tiver coragem de lê-lo.. tomara que seja lógico, pq esse já é um clássico!

Kézia Lôbo 26 de novembro de 2012 15:46  

Nossa todo mundo fala bem desse livro, e tenho ele aqui a mais de anos e nunca li, por mais que me chame a atenção, realmente nunca parei para ler, mas preciso reparar isso, logo logo.

Pâm Oliveira 7 de dezembro de 2012 05:41  

Oii linda tenho uma surpresa pra você lá no meu blog ;)
http://pam-oliveira.blogspot.com.br/2012/12/selinhoo.html
Um beeijão e ADMIRO MUITO O TEU TRABALHO *-*
Paaaaarabéns!!

Postar um comentário

  © NOME DO SEU BLOG

Design by Emporium Digital